2015 - Lançamento do Livro "A Arte dos Selos - a filatelia e a justiça" e exposição com mais de 1000 selos da coleção filatélica jurídica do Advogado Dr. João Casillo

11 de outubro de 2018

Data: 26 de abril 2015 na Galeria de Arte Solar do Rosário
Local: Curitiba - PR
Lei de Incentivo à Cultura

Patrocínio: Blount, Impextraco, Propex, Igarachi.

Incentivo: Casillo Advogados

LIVRO MOSTRA A ARTE DOS SELOS E SUA RELAÇÃO COM A JUSTIÇA 

Há mais de 20 anos o advogado e escritor João Casillo coleciona selos com temáticas ligadas à justiça. A Revolução Francesa, a criação da ONU e a abolição da escravatura são alguns momentos celebrados nas estampas postais, entre muitos outros fatos históricos, sociais e institucionais. Esta paixão se transformou num livro ricamente ilustrado, “O Direito e a Filatelia – A Arte dos Selos”, que foi lançado em 2015 no Solar do Rosário.

A obra editada com apoio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e patrocínio da Blount, Igarashi, Impextraco e Propex. Teve organização do Solar do Rosário, coordenado por Lucia Casillo. 

Os capítulos do livro

Nas 464 páginas, o leitor pode conferir a beleza de mais de nada menos que mil selos, lançados em mais de 150 países num período que vai da década de 1930 até os dias atuais. Usando como base a Filatelia, a pesquisa de selos empregados em postagens comunicacionais, Casillo resgata nos 20 capítulos da obra o registro de fatos atuais, bem como a celebração de eventos de importância histórica, nos selos do mundo. Há representações da deusa egípcia Maat, que usava a balança para julgar os mortos, um dos mais antigos símbolos de Justiça, bem como o orixá Xangô, que representa a mesma virtude na Umbanda. A escultura “A Justiça”, que traz a clássica imagem vendada e está localizada em frente ao Supremo Tribunal Federal, também ganhou homenagem em selo. 

Com muita cor e diferentes técnicas artísticas, os selos levam o leitor para uma viagem no tempo e pelo mundo afora, da Europa e Américas até longínquos países na África, Ásia e Oceania, passando inclusive por nações que não existem mais ou mudaram de nome. 

“Além das duas décadas colecionando, foram mais três anos de trabalho dedicados a organizar este livro”, conta Casillo. Atualmente sua coleção conta com mais de cinco mil selos. “Destes, separamos mil, uma amostragem capaz de revelar a ligação da arte dos selos com a justiça”. Segundo ele, é sempre uma angústia para todo o colecionador o futuro de seu acervo. “Reunir a coletânea em livro é uma forma de preservar a história artística desta coleção. Quando falamos em selos, que cada vez são menos utilizados no mundo todo, a importância de reuni-los e guardar sua história para a posteridade é ainda maior”. 

 Não faltam aspectos históricos nos exemplares selecionados. “A celebração dos 2500 anos da criação da Tribuna da Plebe foi celebrada na Itália com uma marca timbrada; o rei Carlos Magno, importante figura para a legislação da educação em seu reinado no século VIII, também recebeu homenagem pelo mesmo país. A Carta Magna, assinada pelo rei João da Inglaterra em 1215 na qual ele se submetia aos poderes da lei, mereceu celebração em 1965 em um importante selo”, exemplifica. 

VOLTA AO MUNDO 

A conquista de direitos é tema de várias coleções de selos pelo mundo afora. Edições especiais foram lançadas na França para lembrar da Revolução Francesa, com um timbre para cada palavra fundamental do movimento: Igualdade, Fraternidade e Liberdade. Este momento histórico foi homenageado inclusive por outros países como Cuba e Argentina. A Criação da Organização das Nações Unidas e a celebração da Paz são recorrentes nas publicações de selos, com coleções sendo produzidas ao longo de anos e em diversos países. Figuras como Albert Einstein, Martin Luther King Jr, Mahatma Gandhi e Madre Teresa estão associados aos Direitos Humanos em muitos destes emblemas. A criação de Repúblicas e a elaboração de Constituições também são temas clássicos, encontrados em selos do Brasil, Polônia, Somália e Taiwan, entre tantos outros. 

 Diversos capítulos de “O Direito e a Filatelia” são dedicados à evolução social.

A Libertação dos Escravos é tema de lançamentos especiais no Brasil e nos Estados Unidos. A Tanzânia, a África do Sul e o Camarões registram o combate à discriminação racial em séries. O Brasil conta com uma coleção única que representa a proteção jurídica da criança e do adolescente, apresentando desenhos de grandes artistas nacionais, incluindo Maurício de Souza. 

Nova Zelândia, Papua Nova Guiné e Porto Rico foram alguns dos países que representaram a conquista do voto em seus selos, enquanto Honduras, Estados Unidos e Trinidad e Tobago celebraram o Direito da Mulher. Um dos capítulos é inteiramente dedicado à Justiça do Trabalho, tema recorrente em selos brasileiros, alemães, iranianos e paraguaios, entre outros. 

O AUTOR 

João Casillo é advogado desde 1967 e autor de outras três publicações. Duas delas são no campo do direito - “Erro como vício de vontade” e “Dano à pessoa e sua indenização” – enquanto a terceira, “O Direito e a Arte”, é uma coletânea com sua grande coleção de obras de arte. Foi este trabalho que deu origem a ideia de um novo livro, focado na filatelia e no Direito. 

Mestre e doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, foi professor da Faculdade de Direito de Curitiba, da PUC-PR e da Universidade Federal do Paraná. Já atuou como Presidente da Academia Paranaense de Letras Jurídicas e é Cônsul Honorário do Reino da Bélgica. 

O Solar do Rosário é um espaço particular de arte e cultura desde 1992. Direção: Regina Casillo e Lucia Casillo Malucelli
Rua Lourenço Pinto, 500, 7° e 8° andar - Curitiba - PR - CEP: 80010-160

+55 (41) 3225-6232 +55 41 98803-4634 +55 41 98803-8089
Solar Do Rosário Cursos Artísticos Ltda - CNPJ: 09.601.045/0001-96
userclosechevron-downshopping-cartbars linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram